No momento de trocar as lâmpadas antigas da casa  pelas lâmpadas econômicas, muitas pessoas ficam em dúvida sobre qual lâmpada comprar,1 capa
principalmente as lâmpadas de LED que são novas no mercado e precisam de regulamentação a respeito de suas potências. Atualmente, no mercado podemos ver potências diferentes das lâmpadas de LED para indicar a mesma potência em relação às lâmpadas incandescentes. Segundo o Inmetro, até o final de 2015 estas lâmpadas estarão regulamentadas. 

Além disso, ao ver o produto, inúmeras são as informações descritas nas embalagens.

Isto tudo tem gerado muita indecisão e irritação no momento de escolher a lâmpada.

 

 

Antes de comprar, é conveniente saber o significado de cada palavra contida na embalagem. As principais são:
– Lúmen (Lm): unidade de medida do fluxo luminoso;

– Kelvin (K): unidade de medida da temperatura de cor;

– Watts (W): unidade de medida da potência de uma lâmpada;

– Volts (V): unidade de medida da tensão de uma lâmpada;

– Candela (Cd): unidade de medida de intensidade luminosa;

– Lux (Lx): unidade de medida do fluxo luminoso uniformemente distribuído sobre uma superfície;

– Base: parte metálica inferior da lâmpada que se conecta ao soquete. A mais comum para residências é a base E 27, a mesma das lâmpadas incandescentes.

Siglas importantes na iluminação:

 – IPÍndice de Proteção da lâmpada. Indica o grau de 3 informaçΣes da embalagem Osramproteção que a lâmpada possui contra poeira e líquidos. Nesta sequência e sempre com dois números: o primeiro indica o grau de proteção contra poeira e objetos sólidos; seu número máximo é 6. O segundo número indica o grau de proteção contra líquidos; seu número máximo é 8.

– IRCÍndice de Reprodução de Cor, calculada em porcentagem. Quando o IRC é alto, como acontece na lâmpada de LED, IRC até 90%, significa que ela mantém a cor original dos objetos iluminados, o que não acontece com as lâmpadas fluorescentes.

 

 Outras dúvidas surgem logo depois, no momento de escolher as lâmpadas certas para cada ambiente.

4

Confira as dicas a seguir:

Luzbranca ou amarela?5

Em relação à cor das lâmpadas, são vendidas no mercado lâmpadas “quentes” ou “frias”, tanto nas de LED como nas fluorescentes. Nas modernas lâmpadas de LED, existem também as “suaves”. Esta temperatura de cor é medida em Kelvin (como descrito nas embalagens).

A luz branca proporciona um ambiente mais dinâmico e a luz amarelada proporciona um ambiente mais aconchegante. Embora provoquem sensações diferentes no ambiente, é da preferência de cada um escolher entre lâmpadas de luz fria ou as de luz quente, ou até mesmo um “mix” das duas.

Como cada ambiente tem sua função, recomendo a combinação das lâmpadas de cor fria e quente. Em áreas de trabalho como cozinha, área de serviço, banheiro e sala de estudos (ou escritório), assim como em áreas externas: garagem, quintal, fachada e jardim, as lâmpadas de cor fria se moldam melhor pois deixam o ambiente mais claro. Já nos ambientes de descanso e lazer: dormitórios, salas de estar e jantar, de passagem rápida como hall e corredor internos, as lâmpadas de cor quente auxiliam numa iluminação aconchegante e harmoniosa.

Embalagens de lâmpadas com o escrito “2700 K” significa que a luz é “quente”. Se estiver “3700 K” ou “4100 K” por exemplo, a luz é suave, levemente amarelada. E se constar “6500 K”, a luz é “fria” e tão clara quanto a luz do dia.

8LED ou fluorescente?

Em relação ao tipo de lâmpadas econômicas, LED ou fluorescente, a escolha entre uma ou outra ou mesmo um “mix” das duas lâmpadas fica a critério do morador, embora eu faça algumas recomendações.

A lâmpada de LED tem ainda um custo muito elevado e sofre com as grandes variações de preço entre os fabricantes, enquanto que as lâmpadas fluorescentes são vendidas a preço bem mais baixo pois já são comercializadas há muitos anos.

Porém, caso disponha monetariamente da troca total por lâmpadas de LED em sua casa, esta ação é recomendada. Elas possuem muito mais vantagens do que as lâmpadas fluorescentes: alta durabilidade com vida útil mais longa (25 a 50 mil horas); consumo de energia baixíssimo, mais do que as lâmpadas fluorescentes; IRC de até 90%, portanto não alterando a cor do objeto iluminado; possui brilho forte e não emite raio ultravioleta.

Mas se precisa ou prefere comprar com economia, o interessante é misturar a iluminação de toda a casa com as lâmpadas de LED e as fluorescentes. Como?


9Em ambientes de grande permanência, sala de TV, escritório etc, invista nas lâmpadas de LED pois são campeãs quanto à economia de energia elétrica. E nos ambientes de curta permanência, lavabo, hall, corredor etc, coloque as lâmpadas fluorescentes.

Num mesmo cômodo, citando o banheiro, no qual tem usos diversos, banho, bacia, lavatório, uso do espelho, pode ser feito um “mix” das lâmpadas econômicas. Na iluminação central do banheiro, onde seu uso é maior, pode ser colocada lâmpada de LED. Na área do lavatório, de curta permanência, colocar lâmpada fluorescente. 
Finalizando, se a pessoa utiliza o espelho do banheiro para se maquiar, por exemplo, e demora um certo tempo, ainda mais se for iluminado por duas arandelas, é indicado colocar lâmpadas de LED.

 

10Lembre-se: “mix” dos dois tipos de lâmpadas econômicas pode ser feito em um mesmo ambiente, mas jamais numa mesma luminária.

Por fim, note a diferença entre os ambientes de luz “quente” e de luz “fria”

 

Este é um post escrito por Samara, do blog Casa Adorada em contribuição para o Blog da Cormilu

Até 6x Sem Juros & Frete Gratis!* Meus Pedidos Dispensar